Data de publicação: 24/05/2023

Açores e Madeira: ilhas portuguesas com presença centenária da SSVP

Conselho Geral Internacional

O Presidente-geral participou, ainda, da peregrinação vicentina a Fátima

O legado dos sete fundadores está bem presente nos Açores e na Madeira, que são dois arquipélagos portugueses localizados no Oceano Atlântico. A Sociedade de São Vicente de Paulo desembarcou na Madeira em 1875 e nos Açores em 1908. Porém, em todos esses anos de existência, nunca um Presidente-geral fizera uma visita missionária a esses lugares.

Com a graça de Deus, o confrade Renato Lima de Oliveira, 16º Presidente-geral, teve o privilégio de visitar as duas ilhas em abril de 2023. Foi uma viagem rápida, mas muito significativa, pois envolveu diversas atividades que deixaram muitas saudades. O Presidente-geral esteve acompanhado, em ambas as viagens, da presidente do Conselho Superior, consócia Alda Couceiro. Ao final da semana, ocorreu a participação na romaria ao Santuário de Fátima.

Terceira

Nos dias 17 e 18 de abril, a visita ocorreu na Ilha Terceira, uma das nove ilhas que pertencem à Região Autônoma dos Açores, distante 1.500 km de Lisboa. O confrade Renato e a consócia Alda foram recebidos calorosamente no aeroporto pelo confrade Carlos Matos, presidente do Conselho Central da Terceira, composto por 12 Conferências e 120 membros.

No primeiro dia, Renato e Alda participaram da reunião ordinária da Conferência Santa Catarina, situada no Cabo da Praia, antecedida por um delicioso almoço típico açoriano. No dia seguinte, pela manhã, nas dependências do Seminário Episcopal em Angra do Heroísmo, onde é a sede do Conselho Central, a agenda constou uma reunião de trabalho muito frutífera com a diretoria do Conselho e presidentes das Conferências.

Na parte da tarde, foi realizado um encontro de formação, aberto a todos os vicentinos dos Açores, onde o confrade Renato discorreu sobre as realizações do atual mandato e respondeu a perguntas sobre o processo de canonização de Ozanam. A última atividade foi uma santa missa, celebrada na capela do Seminário Episcopal pelo padre Jacinto Bento, assessor espiritual do Conselho Central, quando o confrade Carlos foi empossado como presidente reeleito.

Funchal

Nos dias 19 e 20 de abril, a viagem seguiu para a Madeira, que consiste num arquipélago de duas ilhas, distantes 1.000 km de Lisboa. O confrade Diamantino Santos recebeu o Presidente-geral e a presidente nacional no aeroporto do Funchal, e na sequência foi realizada uma reunião de trabalho bastante produtiva com a diretoria do Conselho Central, na sede do referido Conselho, que engloba 35 Conferências e 500 confrades e consócias.

No dia seguinte, realizou-se um encontro de formação para todos os vicentinos madeirenses, na Paróquia Santo Amaro, seguida de uma santa missa celebrada pelo padre Ignácio Rodrigues. Após a missa, foi lida e assinada uma ata, muito bem redigida, relatando aquele momento histórico. Na sequência, no salão paroquial, serviu-se um saboroso jantar cujo cardápio foi “arroz de pato”, uma iguaria local. Logo depois, Renato, Alda e Diamantino concederam entrevista à Rádio Funchal, destacando o trabalho vicentino realizado na ilha, em Portugal e no mundo.

Tanto nos Açores quanto na Madeira, o Presidente Lima de Oliveira presenteou os Conselhos Centrais com um quadro dos sete fundadores, uma bandeira, livros e CDs de músicas, além de uma autêntica relíquia do Bem-aventurado Antônio-Frederico Ozanam. Nas duas localidades, reforçou-se a importância da existência dos Conselhos de Zona (Conselhos Particulares), da renovação nos mandatos, do bom relacionamento com a Igreja e da fundação de novas Conferências.

“A presença do Presidente-geral em terras portuguesas é sempre uma bênção, ainda mais quando falamos a mesma língua”, atestou a consócia Alda. “Quero agradecer, do fundo do meu coração, a acolhida que tivemos nos Açores e na Madeira. Vocês são vicentinos muito especiais. Sigam firmes na missão da caridade, promovendo os pobres. Cuidem também da boa administração das nossas Conferências e dos Conselhos, pois esse zelo se reverterá numa melhor assistência aos mais carenciados”, considerou o confrade Renato Lima.

Fátima

Ao final da semana, no dia 22 de abril, o Presidente-geral participou, pela primeira vez na vida dele, da peregrinação nacional vicentina a Fátima, um dos santuários marianos mais conhecidos no mundo. O confrade Renato pegou carona (boleia) num dos cinco ônibus organizados pelo Conselho Central de Lisboa. Ao chegar em Fátima, o Presidente-geral participou da cerimônia das bandeiras, que culminou com a renovação da “Promessa Vicentina” na capelinha das aparições.

Na parte da tarde, cerca de 2 mil vicentinos, provenientes de todas as regiões de Portugal, lotaram o Centro Apostólico Paulo VI, onde realizou-se uma assembleia muito bonita e participativa. Destaque-se uma lindíssima apresentação teatral dos jovens vicentinos do Conselho Central do Porto sobre a história de vida do bem-aventurado Pedro Jorge Frassati, culminando com a formação de um mosaico colorido com a logomarca da SSVP. Na ocasião, o confrade Renato Lima apresentou o tema “Maria levantou-se e partiu apressadamente”, que é também o tema das Jornadas da Juventude de Lisboa 2023.

O bispo auxiliar de Lisboa, Dom Américo Aguiar, prestigiou a assembleia, e proferiu um discurso que motivou a todos. Também o padre José Alves, assessor espiritual nacional, usou da palavra e leu a sua mensagem de boas-vindas, focada no tema das Jornadas (Lucas 1, 39). Além da assembleia, a peregrinação continuou com outras atividades, como o Santo Rosário, vigília, procissão das velas e eucaristia em ação de graças pelos 190 anos da fundação da SSVP.

Clique aqui para ler: