Data de publicação: 29/11/2023

Reunião da Diretoria e do Comitê Executivo Internacional em Madri

Conselho Geral Internacional

10, 11 e 12 de novembro de 2023

Nos dias 10, 11 e 12 de novembro, a primeira reunião da Diretoria e a reunião parcial do Comitê Executivo foram realizadas em Madri, na nova sede do Conselho Nacional da Espanha, com a presença total dos membros legais.

Sob a presidência do novo Presidente-geral Juan Manuel B. Goméz e após as boas-vindas, foram apresentados os novos membros do Comitê Executivo. Em seguida, após as orações vicentinas e a meditação do Padre Orozco CM, foram discutidos os assuntos da agenda, sendo os mais relevantes os anúncios e as propostas a serem feitas ao Comitê Executivo. Destacaram-se os relatórios do secretário geral e do tesoureiro geral, que apresentaram o estado das contas e solicitaram propostas para a preparação do novo orçamento para 2024, que deve levar em conta as despesas da assembleia geral a cada três anos, em vez de seis, e a necessidade de uma mudança de auditores em Paris.

No dia seguinte, na reunião do Comitê Executivo, o Presidente-geral deu as boas-vindas aos presentes, lembrando que naquele dia, 11 de novembro, comemora-se o 174º aniversário da fundação da SSVP na Espanha, por Santiago de Masarnau, de quem fez um breve esboço biográfico, e de seus anos em Londres e Paris, pois foi contemporâneo de Ozanam. Em seu discurso, ele destacou a fraternidade como o principal valor e a origem das Conferências. Lembrou que Antônio-Frederico Ozanam também visitou a Espanha em 1852 e queria fazer uma peregrinação a Santiago, mas, devido a problemas de saúde, só conseguiu chegar a Burgos, e ficou tão impressionado que escreveu um belo livro: “Uma peregrinação ao país do Cid”. 

Em seguida, ele apresentou as saudações da Conselheira do Conselho Municipal de Madri, María Nadia Álvarez.

A meditação do Pe. Orozco CM foi sobre a multiplicação dos pães e peixes, como um chamado à caridade, compaixão e solidariedade com aqueles que têm fome de pão, mas também de pão espiritual, e para incluir a Eucaristia em nossas vidas e em nossa prática de caridade. Ele também informou ao Comitê que está preparando com afinco o programa internacional chamado “Crescendo juntos na fé”.

Entre outros itens da pauta, os destaques foram as propostas e anúncios da Diretoria e as discussões subsequentes.

Destaques:

-A criação de uma Comissão de Estatutos e, reconhecendo sua importância, o estabelecimento de uma 3ª Vice-presidência Geral Adjunta para Governança e Transparência, com a consócia Elaine Heyworth, da Inglaterra e País de Gales, como presidente. A Comissão será co-presidida por Elaine e pelo confrade Ralph Middlecamp, o Vice-Presidente Geral.

-O novo manual de Ajuda Fraterna Internacional será apresentado e aprovado e, depois de traduzido, será publicado no site corporativo, em duas versões, a normal e a reduzida.

-A Itália foi proposta para o 3º Encontro de Jovens da SSVP, para que seja realizado em julho/agosto de 2025 em Roma, aproveitando a oportunidade do Jubileu dos jovens organizado pelo Papa.

– A celebração de um Dia Internacional Vicentino em uma cidade relevante de cada continente. Seria um evento de repercussão mundial com arte e cultura como mensagem universal para transmitir a sociedade, nossas atividades e obter recursos econômicos e humanos, a fim de nos tornarmos mais conhecidos pelas instituições públicas e privadas. A Austrália se ofereceu para ser o primeiro país a sediar essa celebração, durante o segundo semestre de 2024.

– A proposta da Presidente da SSVP do Panamá para ver se esse país pode sediar o Congresso Ibero-Americano, que poderia ser realizado em 2025, levando em conta que o último foi realizado no Equador em 2017.

– A formação de uma força-tarefa, formada por membros da CIAD, para encontrar novas formas criativas de financiamento e simplificar as existentes, adaptando e melhorando o gerenciamento da Comissão de Ajuda ao Desenvolvimento (CIAD) e do Fundo de Solidariedade Internacional (FIS). Precisamos continuar a ter fundos sem destinação específica, e precisamos que os países do Comitê Executivo sigam e apoiem isso para continuar a ajudar os países que têm menos recursos, com pequenos fundos de emergência, fundos de reabilitação maiores, bem como projetos de mudança sistêmica ou projetos “Laudato Si”.

– Queremos revisar o relatório anual do  Conselho Geral Internacional e incluir um resumo das contas anuais dos países para fins informativos, a fim de mostrar nosso impacto global e explicar nossa capacidade e credibilidade. A proposta foi aprovada por unanimidade.

-Com relação ao calendário de reuniões em 2024, foi comentado que, como a França sediará os Jogos Olímpicos, pode ser um problema realizar todas as reuniões lá. A proposta é realizar a primeira reunião anual da Diretoria no final de fevereiro/início de março, aproveitando a peregrinação vicentina a Aparecida (Brasil), a próxima em maio, em Dublin; e em junho, nos dias 6, 7 e 8, na Índia, onde estão convocados a Mesa, o Comitê Executivo, a Seção Permanente e os VPTIs. Depois disso, uma reunião ou visita a locais onde a SSVP precisa de reforço está sendo considerada; e, finalmente, uma reunião da Diretoria em Roma, coincidindo com a reunião da FamVin, que será de 15 a 18 de novembro.

-O Presidente-geral, de acordo com seus termos de referência, indicou os 10 países a serem convidados a fazer parte do Comitê Executivo para o período de 01.01.24 a 31.12.26: Malta, Alemanha, Ilhas Salomão, Nova Zelândia, Cingapura, Bangladesh, Canadá, Quênia, Angola e Paraguai.

-Com relação à Juventude, concordamos em desenvolver várias atividades, como programas de intercâmbio internacional para apoiar as missões vicentinas locais e fortalecer nosso trabalho com os jovens. Além disso, manter e promover o Dia da Juventude com Pier Giorgio Frassati como patrono da Juventude no dia 4 de julho, e também ter uma linha orçamentária específica e levantar fundos para financiar as atividades da juventude.

Juliana Rosa Silva, como nova Delegada Internacional, se propõe a dar continuidade ao trabalho já realizado. A primeira tarefa é nomear os novos coordenadores territoriais. As Américas, 1, 2 e 3 já foram nomeadas. Estão em andamento as nomeações para Ásia, 2, África 1 e 2 e para os demais ainda estamos aguardando os nomes, o que será feito em colaboração com Júlio Lima e os VPTIs para formar uma equipe mais unificada. Juliana agradece ideias, sugestões ou propostas dos membros desse grupo.

-O Presidente-geral nomeou vários membros para diversos cargos de serviço dentro da estrutura internacional, os quais, juntamente com os VPTIs já nomeados, aparecerão no organograma a ser publicado no site corporativo.

Em seguida, tomaram a palavra:

Antonio Gianfico, Vice-Presidente  Internacional de Relações Institucionais com o Vaticano, informou que o processo de canonização está aguardando o reconhecimento dos médicos da natureza da doença do menino brasileiro e, portanto, do milagre. Ele esperava que a Comissão emitisse um parecer positivo em breve.

Luz Maria Ramirez, Vice-presidente  Internacional de Formação, comentou que, juntamente com os delegados e os VPTIs, eles darão continuidade aos programas estabelecidos até o momento. Eles pretendem compartilhar esses programas de formação por meio dos webinars que já foram criados, pelo menos uma vez por ano, com um tópico que seja de interesse de todos. Eles também analisarão as necessidades de formação expressas nos relatórios anuais dos países e considerarão a possibilidade de dar continuidade a essa formação em cascata. Eles querem enriquecer os módulos de formação que temos no site, ou seja, com questões de desenvolvimento humano, a doutrina social da Igreja, o módulo de espiritualidade de São Vicente (o programa do Pe. Orozco sobre “Crescendo juntos na fé” será de grande ajuda), bem como os 7 fundadores. Eles também pretendem enriquecer e disseminar o “Manual das Conferências”, trabalhar na falta de conhecimento da Regra (somente depois que a atualização dos Estatutos for concluída) e também trabalhar em um programa de formação específico para os Presidentes Nacionais. Júlio Cesar insiste na necessidade absoluta dessa última parte, como formação contínua.

Adela Redondo, Delegada Internacional de Comunicação, apresentou os planos de sua equipe: a revista “Ozanam Network continuará a ser publicada com algumas pequenas alterações, em particular, incluirá uma seção sobre formação. Os Conselhos Nacionais serão pesquisados sobre suas necessidades e expectativas de comunicação. Estaremos buscando mais comprometimento dos países para fornecer material e notícias. Queremos atrair mais membros, mais voluntários e mais doadores, fornecendo uma imagem consistente e clara do nosso trabalho.  Por fim, pretendemos elaborar um plano de comunicação que conterá o desenvolvimento de todos esses objetivos e propostas. Adela conclui agradecendo a Carlos Lafarga por seu excelente trabalho ao longo dos anos e anuncia a incorporação das jornalistas Natalia Cabrera e Renata Moreira ao Departamento.

Elaine Heyworth, 3ª Vice-presidente Geral Adjunta de Governança, salientou que faltam apenas 10 anos para o 200º aniversário da Sociedade e que devemos começar a pensar nisso. A Mesa concordou e tomou nota.

Paola Da Ros, Presidente da Itália, explica que a SSVP italiana assinou uma declaração de intenções para colaborar com o Lions Clube italiano no início deste ano. Paola está propondo a Mesa a possibilidade de estendê-la ao nível internacional, aproveitando a presença do Lions em 210 países. Paola facilitará os contatos com um sócio do Lions Clube da Espanha. O Presidente-geral concorda e sugere à Comissão Histórica que proponha a concessão da próxima medalha “Caridade na Esperança” ao Lions Clube, se esse for o caso.

Finalmente, entre outros assuntos, foram discutidos dois tópicos, um sobre o apoio da FAMVIN à Campanha das 13 Casas, seu orçamento e nossa participação, e o outro sobre a recente visita à Espanha da Presidente da União Mundial de Organizações de Mulheres Católicas (WUCWO), que teve uma reunião com a Presidente-geral para finalizar a carta de intenções e perguntar se a SSVP pode ajudar a União em seu Observatório de Mulheres nos países onde não está presente.

Com as intervenções dos presentes e a recitação das orações vicentinas, a sessão foi encerrada.

A reunião internacional também nos proporcionou tempo para passeios e convivência. Por cortesia do Conselho Nacional da Espanha, pudemos desfrutar de um agradável passeio pela cidade de Madri. A visita noturna à capital nos mostrou toda a sua beleza ao caminharmos pela Madri mais tradicional, mais antiga e também mais monumental: Plaza de la Villa, Plaza Mayor, Catedral de Almudena, Palácio Real… A cidade nos recebeu como dizem que costuma receber, sorrindo para você como qualquer outro madrilenho, fazendo com que você se sinta um dos seus assim que põe os pés no chão dessa cidade.

 O toque final para todos esses momentos de amizade comemorativa foi a missa celebrada no domingo, dia 12, na Basílica Real de São Francisco, o Grande, pelo padre José Francisco Orozco CM, concelebrada pelo padre Benjamin Boluka, religioso de São Vicente de Paulo, que veio da República Democrática do Congo. Esse belo templo neoclássico nos ofereceu o abraço de sua grande cúpula, a quarta maior da Europa, depois da Basílica de São Pedro e do Panteão de Agripa, ambos em Roma, e de Santa Maria del Fiore, em Florença, e nos encorajou e preparou nossos corações para caminhar em direção ao encontro com Jesus, até encontrá-lo na  Eucaristia. E é a partir daí, onde todas as palavras que foram pronunciadas durante a reunião da equipe internacional são ordenadas e assumem seu significado final, aos pés desse Cristo, que mais uma vez nos envia com a doçura das vozes infantis do coral de Santiago de Masarnau do Colégio San Alfonso. 

“Ainda há muitos pés para lavar

ainda há muita escuridão

para iluminar

tantas correntes para quebrar,

pão e vinho para os pobres, eu quero ser…”.

Os irmãos estão nos esperando, a caridade é urgente e cada um de nós, a partir de nossa própria responsabilidade, a partir do lugar em que nos coube realizar nossa tarefa na Sociedade de São Vicente de Paulo, quer renovar nossa fé e ser suas mãos que lavam esses pés, que iluminam a escuridão e que, em seu nome, quebramos as correntes, tantas correntes que ameaçam o homem de hoje.

Assim, embalados pelas suaves melodias do coral de crianças de Santiago de Masarnau e seguindo nosso fundador Antônio-Frederico Ozanam, retornamos aos nossos pontos de origem renovados e encorajados a colocar nossa fé em ação.