Data de publicação: 01/02/2024

Fevereiro: mês da fraternidade humana e da justiça social

Conselho Geral Internacional

As Conferências estão convidadas a refletirem sobre esses temas

O mês de fevereiro traz, consigo, duas datas bastante significativas para a Sociedade de São Vicente de Paulo e para toda a humanidade. Estamos a falar do DIA INTERNACIONAL DA FRATERNIDADE HUMANA (4 de fevereiro)e do DIA MUNDIAL DA JUSTIÇA SOCIAL (20 de fevereiro), efemérides estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU).

O Conselho Geral Internacional convida todos os vicentinos, do mundo inteiro, a refletirem sobre essas duas datas, por meio de textos e artigos que poderão ser lidos nas reuniões das Conferências e dos Conselhos.

Para celebrar a “fraternidade humana”, a ONU deseja mobilizar todos os esforços para a promoção da cultura da paz, da tolerância, da inclusão e da solidariedade. O foco é, sobretudo, respeitar as pessoas e aceitá-las como elas são, inclusive sua opção religiosa ou partidária, sem discriminação e na busca do diálogo.

Sobre a data da “justiça social”, o objetivo das Nações Unidas é refletir sobre a igualdade entre as pessoas, a garantia da liberdade (política, religiosa, de pensamento e de expressão), as condições de trabalho e as oportunidades de saúde e educação, além do cuidado com os menos favorecidos, como crianças, idosos e deficientes.

É notável o papel que o Bem-aventurado Antônio-Frederico Ozanam exerceu para que a Santa Igreja pudesse avançar no conceito de justiça social, consolidada na Doutrina Social da Igreja.

Os “dias internacionais” definidos pelas Nações Unidas constituem uma ferramenta poderosa para o debate sobre temas sensíveis e essenciais para a humanidade, ampliando a conscientização da sociedade ao buscar uma convivência mais fraterna entre todos os povos.

Ao longo deste ano, o Conselho Geral Internacional estimulará que todas as Conferências possam refletir sobre as datas da ONU que são mais representativas para o carisma vicentino, e assim, melhorar a atuação perante o nosso semelhante e entre nós mesmos, confrades e consócias.

Confrade Renato Lima

Comissário do CGI perante as Nações Unidas