Ajuda de emergência na sequência do furacão Dorian

Os Vicentinos das Bahamas recebem apoio internacional da SSVP e atendem às vítimas através da entrega de alimentos e necessidades básicas.

Com ventos de cerca de 300 km/h, o furacão Dorian atravessou as Bahamas, nomeadamente as ilhas Abacus e Grand Bahama, destruindo tudo ao seu alcance. A lista de pessoas desaparecidas é atualmente em torno de 2.500, embora espera-se que muitas delas estejam em centros de evacuação. Mas, com estes números, o que se receia, infelizmente, é que o número de mortes aumente ostensivamente em relação às 50 mortes que foram oficialmente contabilizadas até à data.

O Conselho Geral Internacional da SSVP, através da CIAD (Comissão Internacional de Ajuda e Desenvolvimento), aprovou um plano de emergência para assistência em face deste desastre natural, enviando dinheiro pela primeira vez e ficam à espera de relatórios locais sobre o trabalho de ajuda que os vicentinos das Bahamas podem fazer no terreno.

A nossa instituição está presente nas Bahamas com 9 Conferências, sete em Nassau (a capital) e duas em Freeport. Os próprios vicentinos também foram afetados pela grande destruição causada pelo furacão e sofreram graves danos nas suas casas, o que não os impediu de vir em socorro dos mais danificados, distribuindo alimentos e outras necessidades básicas.

O vice-presidente territorial da América 1, Michael J. Nizankiewicz, tinha planejado viajar às Bahamas para participar da Assembléia Geral dos membros deste país, a ser realizada no dia 27 de setembro, festa de São Vicente. Esta assembleia foi logicamente cancelada devido às circunstâncias, mas o nosso vice-presidente territorial continua a sua viagem para se encontrar com os nossos confrades nas Bahamas e avaliar, juntamente com eles, o plano de ajuda que a SSVP pode oferecer.

O presidente geral internacional, nosso confrade Renato Lima de Oliveira, expressou a sua preocupação e a de toda a SSVP declarando: “Estamos em solidariedade com os Vicentinos e as vítimas das Bahamas, não apenas apoiando-os com recursos materiais, mas também, e principalmente, através do nosso apoio espiritual e das nossas orações“.